Solidariedade com os estivadores de Gotemburgo

Os estivadores de Gotemburgo, o maior porto de contentores na Escandinávia, estão hoje em greve em luta pela defesa dos seus postos de trabalho, contra as práticas anti-sindicais e pelo modelo de negociação colectiva que tem vindo a ser posto em causa. Este vídeo, na primeira pessoa e com legendas em inglês, deixa claro quais as razões que mobilizam os estivadores desta cidade sueca. We Will Never Walk Alone!

A new strike on Tuesday the 24th of January will once again shut down the biggest container port in Scandinavia. But what is the dispute at APM Terminals in Gothenburg, Sweden, actually about? This short film tells the story from the inside. You may need to activate captions to see subtitles in English.

Advertisements

Estivadores organizam-se em Sindicato Nacional

350px-1971-strike-hook-image

O dia de Natal teve lugar no dia 30 de Dezembro. Já atravessámos quadras festivas tristes com a comunicação patronal do despedimento de estivadores ou com a lamentável ocorrência de acidentes mortais. Mas, no dia 30, foram assinados 23 contratos sem termo pelos estivadores precários que trabalhavam há quase 9 anos no porto de Lisboa, tendo sido “dispensados” por 2 vezes, e que ganharam finalmente o direito a uma relação laboral estável. No Natal de dia 30 nasceram condições para 23 famílias olharem com mais optimismo o futuro, resultado do Acordo assinado a 27 de Maio – com a participação do IDC e do seu líder Jordi – no final de um longo processo de luta que integrou estivadores profissionais e estivadores precários, todos candidatos a igual estatuto profissional e ao direito a uma vida com qualidade.

Hoje é dia de Ano Novo para os estivadores. Hoje, 9 de Janeiro, foram publicados os novos Estatutos deste Sindicato*, que alarga a sua esfera de representação para o âmbito geográfico nacional, Açores e Madeira incluídos. Estão criadas as condições para os estivadores subirem a um patamar de representação igual ou superior ao dos grupos económicos portuários que dominam o País. Poderemos assim lutar, com armas mais equilibradas e a nível nacional, pela melhoria das condições miseráveis de trabalho de alguns estivadores e pelo aniquilamento da precariedade que alastrou de forma selvagem pelos portos, para devolver a quem trabalha as condições de desenvolvimento social e humano que todos ambicionam e merecem.

Um bom Ano de 2017 para todos!

* Nota: no BTE publicado hoje consta a data de 8 de Janeiro porque, a partir deste ano de 2017, a edição/publicação online dos BTE’s – que sempre tiveram data de 8, 15, 22 ou 29 – passa para o dia útil seguinte sempre que essa data coincidir com um sábado, domingo ou feriado. (consultar aqui).

Portuguese Dockworkers organize in National Union

Christmas Day took place on December 30. We have already lived sad festive holidays with the employer’s communication of the dismissal of dockworkers or with the unfortunate occurrence of fatal accidents. But on last December 30th, 23 permanent contracts were signed by the precarious dockworkers who had worked for almost 9 years in the port of Lisbon, having been “discharged” twice, and that finally gained the right to a stable employment condition. At our December 30th Christmas, 23 families could look more brightly to the future, because of the agreement signed on 27 May – with the involvement of IDC and its leadership Jordi – at the end of a long struggle process involving professional dockworkers and precarious dockworkers, all candidates for equal professional status and the right to a life of quality.

Today is New Year’s Day for dockworkers. Today, January 9th, the new Statutes of this Union* were published, which extends its sphere of representation to the national geographic scope, including Azores and Madeira islands. Conditions have been created for dockworkers to rise to an equal or greater level of representation than that of the port economic groups that dominate the country. We can thus fight, with more balanced weapons and at national level, to improve the miserable working conditions of some dockworkers and for the annihilation of precariousness that has wildly spread throughout the ports, to give back to those who work the conditions of social and human development that all desire and deserve.

A good 2017 Year for everyone!